E MDF-e: implantada a versão 3.00a em Produção

Erro 225 / MDF-e é causado pela utilização do emissor gratuito desabilitado


MDF-e implantada a versão 3.00a em Produção. A SEFAZ Virtual do Rio Grande do Sul, que distribui os serviços de emissão de documento eletrônicos para diversos Estados, comunicou que a versão 3.00a do MDF-e foi implantada no ambiente de produção da SVRS.

As regras de validação do QR Code devem entrar em vigor a partir de 07/10/2019 no ambiente de produção.No ambiente de homologação as regras do QR Code já estão em pleno vigor.

 

Erro 225 / MDF-e é causado pela utilização do emissor gratuito desabilitado.

O emissor foi descontinuado e não haverá nenhuma atualização da versão. Usuários que não estão conseguindo emitir o Manifesto de Documentos Fiscais (MDF-e), apresentando o Erro 255, estão sofrendo esse problema porque estão utilizando o emissor gratuito de MDF-e, que foi descontinuado desde o dia 1 de outubro de 2018. Com a nova versão do programa não é mais possível emitir MDF-e no antigo emissor gratuito. A Sefaz alertou desde o ano passado que os contribuintes deveriam ficar atentos ao prazo final de utilização do aplicativo gratuito para emissão do MDF-e, em 1º de outubro. O emissor foi descontinuado e não haverá nenhuma atualização da versão. A Sefaz recomenda que os usuários façam um processo de migração para soluções próprias. Há uma gama de fornecedores no mercado que disponibilizam soluções modernas de emissores gratuitos em versões básicas e outras que podem ser incorporadas ou personalizadas aos sistemas internos dos contribuintes que utilizam essa modalidade de software.

MDF-e

O Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e) deve ser emitido por empresas prestadoras de serviço de transporte para prestações com mais de um conhecimento de transporte ou pelas demais empresas nas operações, cujo transporte seja realizado em veículos próprios, arrendados, ou mediante contratação de transportador autônomo de cargas, com mais de uma nota fiscal. A finalidade do MDF-e é agilizar o registro em lote de documentos fiscais em trânsito e identificar a unidade de carga utilizada e demais características do transporte.