SEFAZ participa de audiência pública de povos tradicionais indígenas em Jenipapo dos Vieiras  

O evento foi uma iniciativa da Rede Maranhense de Diálogos Sobre Drogas (REMADD) e contou com a participação de mais de 27 órgãos públicos parceiros, dentre eles a SEFAZ.


Aconteceu nesta quinta feira (26) a audiência pública de povos tradicionais indígenas do município de Jenipapo dos Vieiras e adjacências.

O evento intitulado "Audiência Pública: A implementação das políticas sobre drogas e demais políticas públicas para a defesa dos direitos dos Povos Indígenas do Maranhão" foi uma iniciativa da Rede Maranhense de Diálogos Sobre Drogas (REMADD) e contou com a participação de mais de 27 órgãos públicos parceiros, dentre eles a SEFAZ representada na pessoa do servidor Francisco Filho.

"A SEFAZ tem uma grande relevância para os povos indígenas do Maranhão. Nosso maior compromisso é levar, através do ônibus da cidadania diversos serviços para alcançar o maior número possível de comunidades indígenas", afirmou Francisco.

A audiência contou também com a presença de Sandra Terena, secretária nacional de políticas de promoção da igualdade racial, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Sandra foi a primeira mulher indígena do Brasil a ocupar uma secretaria no Governo Federal e assegurou seu compromisso de também intervir junto ao Ministério do qual faz parte pelas causas indígenas do Maranhão.

Além da questão do uso de drogas e entorpecentes que têm prejudicado famílias inteiras, também foram discutidas diversas problemáticas que as comunidades indígenas têm enfrentado diariamente. Os caciques e demais líderes e representantes das comunidades indígenas da região estiveram presentes e também participaram da audiência, relatando questões importantes em que o Estado precisa intervir como a falta de água nas comunidades, a falta de registro civil, falta de segurança e demais deficiências.

A SEFAZ e os demais representantes dos órgãos públicos que ali estavam prestaram contas das ações que já vem sendo executadas nas aldeias e foi firmado o compromisso de contribuírem para garantir a qualidade de vida desses povos.